Vai faltar açai na mesa do Amapaense, dizem batedores

Batedores de açaí em Macapá protestam contra a alta e a escassez do produto.

Batedores de açaí em Macapá protestam contra a alta e a escassez do produto.

Batedores de açaí realizaram um protesto nessa segunda-feira (17), na orla de Macapá contra a os sucessivos aumentos no preço do produto no Amapá. Segundo eles, essa alta pode resultar na escassez do produto para a demanda local.

O batedor de açaí Marinado Melo, diz que o grupo atribui a alta do valor ao surgimento de grandes indústrias interessadas no transporte do açaí para fora do país.

O aumento do preço tende a elevar ainda mais com a chegada das indústrias flutuantes, que fazem a coleta e beneficiamento direto com o ribeirinho.

“As grandes indústrias começaram a fazer as exportações para o mercado internacional e é em dólar, não tem como o governo bloquear. Então nós queremos que isso venha de forma programada e para que o produto não falte na mesa do consumidor”, relatou.

O grupo de batedores reivindica que haja maior fiscalização nos preços que são repassados aos vendedores autônomos.

"Hoje o preço [da saca] do açaí aqui tá R$ 320, e lá no Pará tá R$ 360. Lá está em torno de R$ 28 a R$ 30 reais o preço final, aqui já estamos chegando a R$ 20", detalhou Melo.

Fonte: A Gazeta do Amapá